PUBLICIDADE
Topo

Nada sobre nóis sem nóis, 2020

ECOA

26/12/2019 04h00

Escrevi neste blog um total de 16 textos desde o dia 1 de outubro de 2019, ou seja, três grandes meses. É um desafio escrever semanalmente, atrasei, mandei adiantado, fiquei sem criatividade, os assuntos se misturam, se embolam, mas na verdade tudo nessa vida tem um movimento lógico, e eu penso quando escrevo "vai dar certo", no final ali tá tudo fazendo sentido real. E se não fizer, tudo bem também, mas agradeço muito os elogios, os conselhos, as mensagens de agradecimento.

Usar esse espaço para fazer uma reflexão semanal é o que espero de mim e o que, talvez, esperem de mim também. Mas peço permissão para agradecer e registrar quem inspira, ensina e caminha comigo. E entre unidades de conservação necessárias, cada vez mais raras no país, a resistência nas periferias e as políticas públicas criadas pelos nossos o tempo todo nas mais diversas periferias deste país passamos. Então é importante refletir, respirar, agradecer e se fortalecer para os próximos tempos, que não parecem chegar brandos.

Ouso em dizer que 2019 foi um ano de coragem.

Quando a gente desanimou, ouvimos a poesia do Sérgio Vaz na Cooperifa e ouvimos o Binho e a Maria Vilani. E Vaz sempre nos lembra "Todo dia o povo tá fazendo revolução nos trens lotados, nos metros. E queremos dar um recado que nóis lá da nossa quebrada não estamos em crise. Então se alguém tiver com medo cola cunoix, há 519 anos nós sabemos como resistir".

2019 foi um ano que está mais que registrado que é cada vez mais importante a gente falar dos nossos, estudar os nossos, ouvir os nossos e circular um pela quebrada do outro. E nos apoiarmos.

Eu agradeço por todas as oportunidades, pessoas, construções e sonhos que consegui fazer parte. Agradeço especialmente aos irmãos e irmãs que estiveram comigo e não desistiram.

Agradecer a existência da Uneafro Brasil, da Cooperifa, do Sarau do Binho, do Centro de Mídia do M'Boi Mirim, do Desenrola e Não Me Enrola, do Preto Império, do Alma Preta, Pagode da 27, Pagode na Disciplina, Historiorama, Fluxo Imagens, Periferia em Movimento, Agência Solano Trindade, Imargem, Quilombaque, Clariô, Ecoativa e tantos espaços e coletivos necessários para a resistência dessa cidade.

Gisele Brito, Thais Siqueira, Ronaldo Matos, Tony Marlon, Simone Freire, Maliki, Pedro Borges, Evelyn Vilhena, Flávia Lopes, Nenê, Max, Luana Vieira, Carol Pires, Ana Paula, Karina, Carlota, Suzi Soares, Carô, Lu Minami, Áurea Carolina, Flavia Tambor, Zé Gustavo, Carol Gutierrez, Marcelo Bolzan, Nathália Maria, Thiago Souza, Marcos Paulo, Alex Barcellos, Gabi Juns, Aline Rodrigues, Lucas Lima, Annibal Lima, Gil Marçal, Tiaraju Pablo, Rose Dorea, Thiago Borges, Tim, Mauro Neri e os amigos que ensinam e permanecem. Não tem política ou transformação sem a força da amizade, vai por mim, toda essa galera é referência.

Ocupa Política, que segue na construção por uma política que nos faça sentido.

E em especial Bianca Santana, Vanessa Nascimento e Douglas Belchior, mestres de um ano inteiro de revolução e amizade, obrigada.

Ao meu padrinho, a minha tia, meu afilhado e a pouca e pequena família que tenho e que fez quem eu sou.

Aos revolucionários mestres Tula Pilar, Marcos Pezão e José Soró, obrigada mesmo por tanto.

Nada sobre nóis sem nóis.

Não haverá democracia sem as periferias deste país!
Douglas Belchior disse pra mim assim que cheguei, que a responsabilidade é nossa, e que a gente precisa pegar ela pela mão. E assim será!

2020 vai ser treta, mas seguimos juntos.
Vai ter campanha eleitoral municipal e vai ter revolução!

Sobre a Autora

Nascida em Colônia, extremo sul da cidade de São Paulo, Mariana Belmont se define como uma esticadora de pontes. Atuando com mobilização e comunicação para políticas públicas, faz parte da Rede Jornalistas das Periferias, constrói o Ocupa Política e colabora com a Uneafro Brasil.

Sobre o Blog

Cidades que são florestas, florestas que são cidades, mudanças climáticas e conexões para viver melhor. Semanalmente, Mariana Belmont pensa sobre o que tudo isso tem a ver com a gente, e explica melhor essa história de meio ambiente sermos todas e todos nós juntos no mundo.

Mariana Belmont